Início Destaque Fórum de Saúde Mental traça diretrizes para a rede de assistência do...

Fórum de Saúde Mental traça diretrizes para a rede de assistência do SUS

80

Com o objetivo de traçar diretrizes para a saúde mental para os próximos quatro anos, desenvolver estratégias para melhorar o atendimento e fortalecer a rede de assistência aos pacientes, a Secretaria Municipal de Saúde, por meio da Atenção Especializada, e o Conselho Municipal de Saúde realizaram na quarta-feira, 12/05, o I Fórum Municipal de Saúde Mental, que aconteceu na Unipac Lafaiete.
Durante a abertura oficial compuseram a mesa de honra a Diretora da Atenção Especializada Diane Fidelis, o Presidente do Conselho Municipal de Saúde Roberto Santana, a Gerente do CAPS Renta Eunice Silva, a Professora Renta Satler, coordenadora do Curso de Psicologia da Unipac e o Professor Jonathan Oliveira responsável pela Clínica Escola de Psicologia da Unipac Lafaiete.
A palestra magna foi apresentada pela Terapeuta Ocupacional Jamile Alves Cruz que abordou a história e a evolução da saúde mental e os diversos aspectos que envolvem as mudanças na abordagem dos pacientes e nas formas de tratamento.
O Fórum municipal teve três eixos de discussão: Cuidado em Liberdade como Garantia de Direito a Cidadania; Política de Saúde Mental e os princípios do SUS: universalidade, integralidade e equidade; Impactos da Saúde Mental da população e os desafios para o cuidado psicossocial durante e pós-pandemia, que foram apresentados à plenária pelo Psicólogo Michel de Resende Costa.
Na ocasião foram discutidos os temas e apresentadas propostas pelos participantes, que foram profissionais da saúde e do desenvolvimento social, conselheiros de saúde, estudantes do curso de psicologia e pessoas da comunidade.
Para o Secretário de Saúde Darci Tavares o Fórum é um espaço de fundamental importância para promover o diálogo entre os envolvidos na rede de assistência visando melhorar cada vez mais a atenção aos pacientes, promovendo atendimento digno e humanizado.
O Prefeito Mário Marcus apoiou a realização do Fórum e ressaltou que reforça a importância do debate visando a melhoria e ampliação de serviços dentro da área de saúde mental, principalmente no momento que estamos vivendo de pós-pandemia, onde cada vez mais vemos pessoas desenvolvendo problemas de saúde mental. “O diálogo é fundamental no processo de construção das políticas públicas de saúde temos nos empenhado para melhorar cada vez mais este setor”.
Os resultados dos debates e as propostas formuladas serão encaminhados para a Conferência Estadual de Saúde e posteriormente inseridas dentro do Plano Municipal de Saúde com metas a serem cumpridas.