Início Destaque Secretaria de Cultura apresenta EXPOSIÇÃO AGRIPA VASCONCELOS – O Romancista das Gerais

Secretaria de Cultura apresenta EXPOSIÇÃO AGRIPA VASCONCELOS – O Romancista das Gerais

77

Conselheiro Lafaiete recebe mostra que apresenta vida e obra de Agripa Vasconcelos. A abertura será dia 13 de maio às 19 horas no Solar Barão de Suaçuí. A exposição é parte da programação do Maio Cultural e está nas comemorações da 20ª Semana Nacional de Museus realizada pela Secretaria Municipal de Cultura e ficará aberta para visitação de segunda a sexta-feira de 9h às 17h, de 16 de maio a 10 de junho.

 

HISTÓRIA
Agripa Vasconcelos nasceu em Matozinhos, então município de Santa Luzia, em 12 de abril de 1896.
Obteve o título de médico na Faculdade do Rio de Janeiro, em 1920. Publicou o livro «Silêncio», que reúne as poesias que abriram para o escritor, as portas para a Academia Mineria de Letras.
Escreveu “Sagas do País das Gerais”- a obra, composta de seis romances históricos, colocou-o entre os maiores escritores brasileiros.

OBRAS
A coleção consagrada é ilustrada pela artista plástica Yara Tupinambá e conta com os seguintes volumes:
– Fome em Canaã
Romance do Ciclo dos Latifúndios
– Sinhá Braba
Romance do Ciclo Agropecuário
– Gongo-Sôco
Romance do Ciclo do Ouro
– Chico-Rei
Romance do Ciclo da Escravidão
– A Vida em Flor de Dona Bêja
Romance do Ciclo do Povoamento
– Chica que Manda
Romance do Ciclo dos Diamantes

ADAPTAÇÕES
As histórias e personagens de dois de seus livros foram enredo de telenovelas
transmitidas pela TV Manchete na década de 1980 e 1990.
– Dona Beija (1986)
Foi baseada na obra ”A Vida em Flor de D. Bêja” e contou com Maitê Proença no papel
principal.
– Xica da Silva (1996)
Um dos clássicos do gênero, foi inspirada no título “Chica que Manda” e foi protagoni-
zada por Tais Araújo.

ACADEMIA MINEIRA DE LETRAS

Agripa foi o mais novo autor a assumir uma cadeira na Academia Mineira de Letras, aos 25 anos. É o acadêmico mais novo desde a fundação da instituição.
Foi membro do Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais, do Instituto Histórico de Ouro Preto e do Instituto Histórico e Geográfico de Pompéu/MG.