Conselheiro Lafaiete

Introdução

História

Pontos turísticos

Hino oficial

Como chegar

Créditos

 


 

 

Praças

Praça Barão de Queluz  

Um dos logradouros mais característico da velha Queluz, a Praça Barão de Queluz possuía a forma de um grande quadrilátero.

Ali, praticamente, foi que nasceu o povoado do “Campo Alegre dos Carijós”, primitivo nome da atual cidade.

Caminho obrigatório para as Bandeiras, o aldeamento cresceu com a fixação de algumas famílias ao seu redor, passando posteriormente a denominar “Largo”.

Com passar dos anos, o Largo da Matriz, como era chamado na época passou por diversas transformações, em 1926 havia grande número de árvores altas, que foram cortadas para que em 1934 a praça passasse por um grande projeto urbanístico, aterramento e pelos canteiros centrais e destaque ao Chafariz.


Na década de 40, a praça passou por mudanças, como a colocação dos pilares (caramanchões) e aterramento do quarto degrau do Chafariz, e centralização do seu canteiro.

No final da década de 1950, foram plantadas novas árvores, algumas delas existem até hoje, e a colocação de calçamento de bloquete.

Na praça encontram-se os seguintes monumentos: Chafariz e a placa comemorativa aos expedicionários.

Um dos fatos mais importantes ocorridos na praça foi a Batalha da Revolução Liberal de 1842, onde os liberais de Queluz combateram os soldados imperiais. Desse episódio histórico, restaram as marcas de balas na fachada da Igreja Matriz.




Praça Tiradentes  

A Aldeia do Campo Alegre de Nossa Senhora da Conceição dos Carijós, até mais ou menos 1740, se formava quase que só pelo antigo Largo da Matriz,e também por pequenos e acanhados inícios de ruas.

Em 1790, com a elevação à Vila real de Queluz, a cidade já se apresentava com grande melhoria, trazendo com isto, o crescimento e a expansão dos logradouros. Nesse mesmo ano o senhor Visconde General, mandou levantar o Pilourinho da referida Villa, no lugar que para isto se considerou mais próprio e acomodado, e vem a ser na Praça Nova, que ficava no meio da Villa, entre as casas destinadas para a Câmara, e a Igreja Matriz.

Na sessão da Câmara Municipal do dia 09 de maio de 1906, foi feita nova nomenclatura das ruas e locais da cidade; segundo a Lei nº 173, em seu art. 6, fica denominada rua do Tira – Dentes, que vem do “Largo da

Matriz até a Capela do Carmo”. As dimensões da praça naquele ano, eram diferentes das de hoje.

Com o passar do tempo, a praça tomou feições próprias, se separando completamente do antigo largo.

A partir da década de 30, a praça começou a sofre suas grandes transformações sob o governo do prefeito Dr. Mário Rodrigues Pereira, em 1935 a Praça foi modificada, nesse ano o prefeito constitui um belo coreto, obedecendo ao estilo oriental.

Na década de 40, a praça já se encontrava calçada com paralelepídeos, toda alinhada, os passeios e o jardim, calçados com mosaicos, formando desenhos; e novas construções ali se fizeram, como a construção da fonte luminosa em março de 1940 e o abrigo para ônibus no mesmo ano.

Na praça encontram-se os seguintes monumentos: Relógio Queluz; a Índia Carijó; Fonte Luminosa; o Coreto e o monumento a Tiradentes.




Praça da Quitandinha
Atual Praça São Sebastião
 

O primeiro nome dado à praça, foi “Varginha”, por causa do gramado onde as crianças jogavam bola e os circos e parques de diversão montavam seus brinquedos e barracas. Já na década de 1940, a praça era conhecida como “Quitandinha”, em referência ao Hotel Quitandinha de Petrópolis – RJ. Com a ampliação da igreja de São Sebastião, a praça também foi remodelada, alterando o paisagismo e as atrações, sendo que houve um mini zoológico por muitos anos. Com o nome de Praça São Sebastião, a praça ganhou novo calçamento, ficou menor para dar espaço de circulação para ônibus e recebeu um coreto. Atualmente a praça possui área para caminhadas e espaço para eventos culturais.